domingo, 11 de setembro de 2016

O duro tom do Senhor Jesus

Aos doentes, desvalidos, aos tidos por escória (lixo na sociedade), aos pobres de espírito, aos que choram, aos mansos, aos que tem fome e sede de justiça, aos misericordiosos, aos limpos de coração, aos pacificadores, aos que sofrem perseguições... A todos estes (e a vários outros semelhantes) o Senhor Jesus Cristo tinha um certo tom de pregação. (Mateus 5)

Quanto aos RELIGIOSOS e APROVEITADORES o tom mudava DRASTICAMENTE...

Ele assumia um DURO tom ao se referir aos religiosos de sua época. Suas pregações eram cortantes demais, profundas demais quando dirigidas a eles. Ao analisarmos este curioso comportamento do Senhor, só podemos chegar a conclusão de que deter poder eclesiástico não significa necessariamente que se tenha o temor de Deus.

Não podemos generalizar ou usar de dois pesos e duas medidas, mas Ele na grande parte das vezes encontrava mais verdade (ou mais disposição de obediência) em quem não possuía títulos religiosos. Por isso mesmo, quem os possui, precisa dobrar os joelhos mil vezes mais - para não cair na soberba espiritual e ser achado em falta.

Ele endurecia o tom pois sabia que muitos eram impedidos de entrar no Reino devido aos maus exemplos vindos de quem deveria ser MODELO.

Ele endurecia o tom a essa classe de pessoas pois via mais disposição à exaltação de doutrinas e tradições humanas que pra nada serviam, em detrimento da humildade e inclinação aos transformadores ensinamentos ESPIRITUAIS. (Marcos 7: 2, 7 e 9)

Ele chegou a ser AGRESSIVO (e possivelmente ASSUSTADOR) aos APROVEITADORES instalados nas dependências do Templo - que faziam COMÉRCIO. (João 2:13 a 16)

Curiosamente os RELIGIOSOS, ENGANADORES E APROVEITADORES é que armaram plano e O crucificaram!!! (Marcos 15)

Tudo isso aconteceu a dois mil anos e continua acontecendo nos nossos dias (agora sob sorrateiro ar de modernidade). Como efeito dominó, muitos possuidores de títulos eclesiásticos seguem caindo...

O "poder" religioso, sentido na incorporação de títulos, funções e responsabilidades fazem na vida de pessoas despreparadas (ou que um dia foram preparadas mas que relaxaram com o tempo), uma verdadeira devassa, fazendo-as agir de modo contrário a Deus. Assim, tragicamente e a conta gotas levando-as à perda da Salvação...

Não existe nada demais no fato de se possuir responsabilidades ou funções na Obra de Deus, desde que esses fatores sejam administrados com temor, verdade, ética e caráter. É uma dádiva poder prestar serviço ao Reino. Porém devemos ter sempre em mente que a cobrança do Senhor sobre os tais será dupla em relação as outras pessoas. (Lucas 12:48)

Deveríamos ter temor e tremor só de imaginar o DURO TOM de Deus, FACE A FACE conosco, quando por Ele sermos chamados sendo assim achados: meros fariseus, enganadores e aproveitadores. Na gravidade de levarmos falsamente o Seu Nome.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...